O Direito e as Letras: Medida por Medida

Embora seja tratada como uma comédia, Medida por Medida é, como O Mercador de Veneza, uma das ‘peças problema’ de William Shakespeare, não se encaixando, de fato, nas categorias clássicas do teatro. Trata-se de um enredo complicado, que provoca uma série de reflexões: sobre justiça, verdade, compaixão, orgulho e humildade.

A ação acontece numa Viena medieval. Vicêncio, duque da cidade, anuncia que pretende passar um tempo de descanso longe da política vienense e aponta como seu representante administrativo o nobre Ângelo. Ângelo possui fama de justo e consciencioso, mas tão logo assume o poder, decide fazer valer antigas leis caídas em desuso e é absolutamente intransigente no cumprimento delas.

Isso resulta na prisão e condenação à morte do jovem Cláudio, que engravidou a própria noiva antes do casamento. Cláudio deseja assumir suas responsabilidades e se casar com a moça; contudo, as leis de Viena determinam a pena de morte para quem desonre uma virgem e Ângelo, que deseja fazer do rapaz um exemplo, faz ouvidos surdos às súplicas e apelos. A lei deve ser cumprida, custe o que ou a quem custar.

Cláudio tem uma irmã, Isabella, noviça que se prepara para fazer seus votos e que é tanto bela quanto virtuosa. Isabella vai a Ângelo pedir pela vida do irmão e o juiz inflexível imediatamente é tomado pela paixão. Propõe assim à jovem que durma com ele em troca da vida de Cláudio. Dois pesos, duas medidas, e Ângelo, detentor do poder, revela sua verdadeira faceta.

Vicêncio, contudo, não está realmente tão longe quanto afirmara. Disfarçado de frade, voltou a Viena e assiste aos acontecimentos e atitudes de Ângelo, ele mesmo julgando a parcialidade de seu representante. A justiça feita por Ângelo não era cega, sequer justa; seu desejo sempre fora assumir a aparência de poder e é nessa farsa que se apóia a história de Medida por Medida.

Ao final, a peça poderia ser resumida na fala de Éscalo, lorde conselheiro do duque, quando Ângelo condena Cláudio à morte: “Que lhe perdoe o céu, como a nós todos! Uns sobem pelos crimes; outros caem pela virtude. Alguns impunemente vivem sempre, nos vícios atolados, outros por uma falta são julgados“.

Ficha Bibliográfica

Título: Medida por Medida
Autor: William Shakespeare
Tradutor: Beatriz Viégas-Faria
Editora: L&PM
Ano: 2014

Resenha e foto por Luciana Darce, advogada da equipe do escritório MMeira.